A justiça paraense acatou ação do Ministério Público do Pará contra a prefeitura de Belém, que abandonou o Pronto-Socorro do Guamá. Para o diretor financeiro do SINDSAUDE-PA, falta tudo no PSM, menos perseguição e assédio moral contra quem denuncia as condições em que a unidade de saúde se encontra, em consequência da péssima gestão por parte da prefeitura de Belém.,

Na prática, a contratação de um consórcio para reunir empresas para que juntas pudessem realizar serviços de coleta e tratamento dos resíduos solídos por 30 anos foi suspenso até o julgamento do mérito. Fontes do portal diogenesbrandao.com que tiveram acesso ao edital dizem que ele foi feito sob encomenda para beneficiar uma grande empresa paraense, famosa por "ajudar" campanhas eleitorais e logo depois das eleições passa a ser beficiada com contratos milionários.